Creatiblogs todos os blogs criativos

Estilos e Técnicas

Estilo de Pintura – É a classificação de uma pintura segundo o seu aspecto final. Cada estilo de pintura obedece a um determinado modo de se pintar, com técnicas, pincéis, substrato (material sobre o qual se pinta), riscos (desenhos) específicos e muitas vezes, também com cores características.
Os estilos de pintura são originários de determinados países, províncias ou regiões, e alguns são centenários e praticados por artistas decorativos de todo o mundo. Alguns povos migraram para outras partes do mundo e trouxeram suas técnicas, influenciando uma nova geração de artistas e criando novos estilos, como é o caso do “Pennsylvania Holandês”, que como o nome já diz, foi primeiramente pintado na Pensilvânia, embora trazido por alemães e não por holandeses como se poderia supor.

• Aguada – Uma camada de pintura feita com a tinta diluída, que matiza a pintura anterior, sem mudar ou esconder sua cor.
• Aquarelada – É como chamamos as pinturas feitas em tons suaves.
• Carregar – Colocar muita tinta no pincel.
• Carga Dupla – Colocar duas cores de tinta, uma em cada ponta das cerdas de um pincel (chato ou angular). A carga dupla é muito usada na técnica “One Stroke”.
• One-Stroke – (Uma pincelada) Técnica de pintura criada pela artista americana Donna Dewberry, onde flores e frutas são pintadas com poucas pinceladas. Geralmente o pincel recebe carga dupla (uma cor em cada lado).

• Country Americano – Estilo de pintura que tem despertado um crescente interesse em povos de quase todo o mundo e é variadíssimo no que diz respeito ás técnicas usadas, as superfícies e objetos que podem ser com ele decorados e ás tintas e pincéis que podem ser usados. Além disso, o estilo country retrata desde cenas campestres a flores, frutas, objetos, animais e figuras humanas e pode ser dividido em três estilos diferenciados: Country, Country Primitivo e Country Clássico, além de ter outras subdivisões nomeadas pelo que retratam como Still Life (natureza morta), Landscape (paisagens marinhas), Cottage (paisagens com casas), etc.

• Bauernmalerei – (Folk-Art) (Bauer = fazenda, malerei = pintura) O Bauenmalerei teve sua origem entre os Alpes bávaro e austríaco e o Apenzell suíço e é freqüentemente chamado de Pintura Alemã ou Pintura Bávara. Conhecido mundialmente, o Bauernmalerei é dividido em vários estilos, como o Tolzr, o Rossler, o Wismut e o Franconian, distinguidos uns dos outros por características como traços, cores e riscos específicos.A pintura é feita com cores alegres e retratando principalmente flores, mas também frutas, pássaros, paisagens e figuras humanas, usando-se pinceladas ensaiadas (C, S e vírgulas), feitas com pincéis redondos e cargas duplas ou carga cheia (Vide Carga Dupla e Carga Cheia).

Hindeloopen – (Folk-Art) - Estilo de pintura de origem Holandesa, praticada desde o século 17 essencialmente por homens, que ensinam a técnica aos seus filhos, mas não ás filhas mulheres. Com pinceladas ensaiadas, é uma pintura rica e delicada, que retrata flores, pássaros, frutos e figuras humanas, arabescos e volutas. Esteve esquecido desde o século 18 e só reapareceu no final do século 19.

• Rosemaling – (Folk-Art) (Rose = rosa, maling = pintando) Estilo de pintura Norueguesa com cores e características específicas. Muito rico e vigoroso, pintado geralmente em cores fortes sobre fundos escuros e subdividido em vários estilos, como o Telemark, o Rosendal, o Oz o Valdres e o Hallingdal. A pintura é feita com pinceladas ensaiadas, sendo que alguns artistas usam pincéis redondos e outros preferem usar pincéis Filbert, com carga dupla.

• Zostovo – Estilo de pintura de origem Russa, que leva o nome de uma aldeia próxima a Moscou. Os motivos escolhidos são principalmente flores dispostas em buquês ou guirlandas, pintadas de forma quase realista sobre fundos pretos, mas também paisagens e personagens e cenas dos contos de fadas russos.

• Craquelê – Recebem esse nome as técnicas que produzem efeitos de rachaduras na superfície de um trabalho. Existem duas técnicas diferentes de craquelar: uma com verniz, com aspecto de rachaduras evidenciadas por pátinas douradas ou escuras e aquela com aspecto de casca de ovo, obtida com tintas apropriadas.

• Envelhecimento – São técnicas que produzem efeitos de envelhecimento ou de muito uso em um trabalho.

• Esponjado – Técnica de pintura que consiste em “bater” com uma esponja carregada com uma cor de tinta diferente, sobre outra já seca e que confere um aspecto envelhecido ao trabalho.

• Esfumado ou esfumaçado – A mistura duas cores directamente na superfície do trabalho, esfregando um pincel largo, macio e limpo, na área de encontro dessas cores, em movimentos de vai e vem, levando e trazendo as diferentes cores de tinta, para produzir um efeito esfumaçado.

• Espatulado – Trabalho feito com espátula.

Flutuação – (Floating) Técnica que cria efeito de sombra ou de luz. Utiliza-se um pincel chato ou angular, carregado com a tinta só na ponta, para produzir uma pincelada esfumaçada, ou seja, de cor intensa que se desvanece para nenhuma. O nome da técnica deriva da ideia que já que se trabalha com um pincel “embebido” em água, as partículas de cor (pigmento) “flutuam” na água e vão ficando depositadas na superfície que se está a pintar.

Flutuação Iluminada – (Highlights) Flutuação com uma cor clara que cria efeitos de luz.

Flutuação Reversa – (Reverse Float) Fazer a flutuação nos dois lados de um desenho (interna e externamente).

Flutuação Sombreada – (Shading ou Blending) Flutuação com uma cor escura que proporciona efeitos de sombreado, muito utilizada nas bordas dos trabalhos para envelhecimento.

• Matizar – (Blending) É o processo de misturar duas cores de tinta com o pincel, diretamente na superfície do trabalho. Também pode ser o ato de “passear” o pincel na paleta, massageando uma tinta para fazer com que ela penetre nas cerdas do mesmo.

• Velatura – (Scumbling) É o processo de aplicar uma demão de tinta aguada sobre uma área pintada, que produz um efeito de transparência, pois permite que se veja a cor da pintura anterior. Com essa técnica podemos pintar criando ilusão de vidro (copos, taças, potes, garrafas, vidraças, tecidos transparentes, etc.), ou dar um aspecto envelhecido a um trabalho.

• Folk-Art – Arte folclórica. Todo estilo de pintura característica, que tem sua origem em uma determinada região ou país.

• Desgastar – (Distressing) Produzir sinais de desgaste a um trabalho com o uso de lixas ou outras ferramentas, para dar uma falsa impressão de muito uso.

• Falso Acabamento – (Faux Finish) Nome dado ás pinturas que imitam materiais presentes na natureza (mármores, granito, madeiras, etc).

• Marmorizado – Técnica de pintura que imita mármore. (vide “Falso Acabamento”)

• Stencil – São modelos feitos em acetato ou plástico com formas ou desenhos vasados e podem ser usados para aplicar tinta ou massa.

Monocromático – É um trabalho feito com vários tons de uma só cor. O resultado é sempre um trabalho que transmite calma.

• Policromático – É um trabalho desenvolvido com várias cores. A utilização de cores contrastantes resultará em um trabalho vibrante e alegre. Para um projeto que transmita paz e aconchego, deve-se trabalhar com cores harmônicas e tons pastéis.

Pouncé – (diz-se poncê) – (Stippling) - Depois de pintar uma área, bater com um pincel seco sobre a área pintada e ainda molhada, para criar uma textura ou efeito de folhagem, nuvens, areia, etc.

• Preenchimento – (Blocking in) – É o preenchimento dos espaços no desenho, com as cores indicadas. Permite uma pintura básica, sem efeitos de sombra e luz.

• Pátina – Originalmente, somente tinha esse nome, a película de coloração esverdeada que aparece no bronze ou no cobre devido á oxidação pela acção do tempo. Com o passar do tempo, os sinais de envelhecimento das pedras como mármore e granito também receberam esse nome. Mais recentemente, aquele aspecto acetinado que um móvel adquire com o desgaste natural ou pela exposição á luz, foram igualmente denominados “patina”. E pode traduzir-se como o conjunto de  várias técnicas de pintura que conferem uma aparência envelhecida ao móvel ou peça onde são aplicadas.
Cada técnica produz um efeito diferente: clássico, rústico, romântico, etc. Exemplos: Patina Tradicional ou Patina Lixada; Patina Lavada ; Patina Provençal  Patina com Parafina ou ; Decapê (DKP); Patina Acetinada; Falso Decapé; etc. Apesar de encobrir pequenas imperfeições, as patinas não são consideradas como restauração, pois mudam as características originais da peça trabalhada.

Pinceladas Ensaiadas – (Strokework) São pinceladas usadas em certos estilos de pintura, que requerem prática constante, até que se obtenha total controle do mesmo. Exemplos: Pincelada em “C”, em “S”, em “Vírgula”, etc. São muito utilizadas em estilos de pintura como o Bauernmalerei, o Rosemaling, o Hindeloopen e o One stroke.

• Pintura Decorativa – (Decorative Paint ou Tole Paint) Toda e qualquer técnica ou estilo de pintura aplicados em móveis ou peças de madeira, metal, cerâmica, vidro, tecido, etc. O nome “Tole Paint”, vem de uma antiga pintura feita em peças de metal, mas atualmente assim estão sendo chamadas as várias técnicas de pintura descritas acima.

• Pintura Realista – Estilo de pintura onde o artista reproduz o mais fielmente possível o motivo escolhido (flores, frutas, objetos, cenas, paisagens, etc.).

• Pintura em Madeira – A madeira é talvez o material mais versátil, pois são inúmeros os estilos e as técnicas de pintura que podem ser aplicados em um móvel ou em uma peça de madeira, assim como os tipos de tintas que podem ser utilizadas.


- Algumas técnicas:
- Foating (Flutuação)
- Spattering
- Dupla Garga ou Carga Cheia
- Faux Finish
- Stencil
- Craquelê
- Pátinas
- Pintura com relevo
- Pintura com aerógrafo

- Alguns estilos:
- Pintura Country Americana
- Pintura Country Primitiva
- Pintura Country Clássica
- Hindeloopen
- Trompe l’oeil
- Bauenmalerei
- Rosemaling